Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.
Fale com o John Deere Journal

A inovação pode transformar as pessoas e o mundo. Funcionários da John Deere descobriram, na prática, como isso pode acontecer por meio do trabalho colaborativo. Por iniciativa própria, eles participaram recentemente do Nasa Space Apps Challenge, uma maratona de desenvolvimento tecnológico organizada pela Agência Espacial Norte-americana (Nasa). O desafio é voltado para desenvolvedores, engenheiros, designers, cientistas ou qualquer pessoa que tenha o objetivo de criar soluções de impacto mundial. Desde sua primeira edição, em 2012, mais de 18 mil pessoas, de 75 países, já participaram.

O evento funciona como uma verdadeira incubadora de ideias. Divididos em equipes, os participantes têm 48 horas para criar soluções para o tema escolhido. Para isso, eles podem acessar os dados da agência espacial.

Em 2019, Indaiatuba (SP) foi uma das 26 cidades brasileiras a sediar o evento – o desafio ocorre simultaneamente em cerca de 200 localidades no mundo todo. “Eu me interessei pelo tema e pelo propósito da competição, e pensei: por que não? Então me inscrevi e fui selecionada”, conta Bruna do Nascimento Cavalari, especialista em Compensação. O processo de inscrição envolve responder um questionário, enviar um currículo e postar no YouTube um vídeo em defesa do projeto. Os grupos desenvolvem ideias em diferentes temas como oceano, estrelas, planetas, lua e Terra.

Bruna do Nascimento com o troféu de terceiro colocado no Nasa Space Apps Challenge
Bruna comemora a terceira colocação no Nasa Space Apps Challenge, conquistada com o grupo Feijuca Estelar

A sinergia de pessoas que nunca se viram antes, em prol de trabalhar e entregar um projeto num espaço curtíssimo de tempo, é o melhor presente desta experiência.

Bruna do Nascimento Cavalari, especialista de Compensação da área de Recursos Humanos da John Deere

O grupo de Bruna, o Feijuca Estelar, escolheu o último, para o qual propôs um projeto de recuperação de matas e florestas, a fim de reduzir áreas de seca e evitar enchentes. A iniciativa ficou em terceiro lugar. “Sei que ganhar o prêmio seria muito legal, mas a experiência vai ficar para sempre na memória. A sinergia de pessoas que nunca se viram antes, em prol de trabalhar e entregar um projeto num espaço curtíssimo de tempo, é o melhor presente”, afirma Bruna. “Ainda estou encantada com tudo que vivi.”

Outro participante foi o estagiário Lucas Cruz. O projeto de seu grupo foi um serviço de monitoramento de focos de incêndio em florestas, por meio de imagens de satélite e de sensores. Moradores de áreas próximas receberiam notificações em caso de ocorrências. “Eu aprimorei bastante a capacidade de trabalhar em um desafio, em curto espaço de tempo. Em menos de 48 horas, conseguimos um protótipo já bem avançado”, enfatiza.

Lucas Cruz, estagiário de TI da John Deere, durante apresentação na Nasa Space Apps Challenge
Cruz: desafio da Nasa foi oportunidade de grande aprendizado para trabalhar sob pressão do curto espaço de tempo para a entrega do projeto

O time de Maurício Menezes, os Space Beans, ficou em primeiro lugar em Indaiatuba, se classificando para a etapa seguinte, com 300 projetos. Desse total, 30 iriam para a final, que seleciona seis vencedores. Seu projeto foi o Daily Crop, apostando na popularização da agricultura urbana para melhorar a eficiência da produção de alimentos, tanto para leigos como para pequenos produtores. A proposta consiste em uma plataforma de orientação ao usuário, de acordo com a região do País, quanto à melhor forma de cultivar determinados alimentos, incluindo o ensino de métodos caseiros de controle de pragas e doenças.

“Trabalhar com pessoas que eu não conhecia foi uma experiência muito interessante”, destaca Menezes. “Havia perfis muito diferentes, com gente de 15 a 60 anos. Essa pluralidade fez o grupo produzir muito rapidamente e com vontade. Isso nos levou a propor um ótimo projeto.”

Os Space Beans não foram classificados para a final, mas a participação valeu muito a pena e serviu de inspiração. “De onde vem a inovação? Ela pode vir de sair do ambiente corporativo para arejar as ideias”, reflete Menezes.

Maurício Menezes e seus parceiros do grupo Space Beans comemoram vitória em etapa da Nasa Space Apps Challenge
Maurício Menezes, da equipe de Marketing da John Deere, comemora a vitória em etapa da Nasa Space Apps Challenge, com seus parceiros do time Space Beans

Trabalhar com pessoas que eu não conhecia foi uma experiência muito interessante. Havia perfis muito diferentes, com gente de 15 a 60 anos. Essa pluralidade fez o grupo produzir muito rapidamente e com vontade. Isso nos levou a propor um ótimo projeto. Sair do ambiente corporativo para arejar as ideias pode servir como inspiração para a inovação.

Maurício Menezes, da área de Marketing da John Deere
Mauricio Menezes, da área de Marketing da John Deere, mostra o troféu de campeão de uma das etapas do Nasa Space Apps Challenge
Maurício mostra com orgulho o troféu de campeão de uma das etapas do desafio

A inovação surpreende, muda realidades e revela novas possibilidades, indo ao encontro de necessidades da sociedade. Novas ideias certamente vão decolar em 2020 e que venha a próxima edição do Nasa Space Apps Challenge.

Comentar
Comentários