Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.
Fale com o John Deere Journal

O homem John Deere, que hoje dá o seu nome para tantos produtos ao redor do mundo, nasceu em Rutland, Vermont, em 7 de fevereiro de 1804. Passou a infância e juventude em Middelbury, onde estudou em escola pública. Em 1825, começou a carreira como artífice de ferreiro e logo ganhou considerável fama pelo seu trabalho cuidadoso e engenhosidade dedicado ao desenvolvimento de novas ferramentas e maneiras de inovar na agricultura. Após muitos percalços, mudou-se para o meio-Oeste dos Estados Unidos, a “terra prometida” do século 19. Mas essa jornada de sucesso contou com personagens importantes, que fizeram toda a diferença na vida deste homem. Sete mulheres especificamente: a mãe, duas esposas e quatro filhas.

A mãe – Sarah Yates Deere (1780 – 1826)

Sally era como todos chamavam Sarah Yates Deere. Nasceu por volta de 1780 em Connecticut, nos Estados Unidos. Era costureira e se casou com William Rinold Deere, que dirigia uma alfaiataria na cidade de Middlebury, no estado de Vermont.  O problema é que William não era bom com finanças e mergulhou em dívidas. Um dia, em 1808, decidiu buscar parte da herança familiar na Inglaterra e nunca mais voltou. Possivelmente morreu no mar junto com a herança.

Com menos de 30 anos e cinco filhos, Sally Deere assumiu a alfaiataria e seguiu sozinha. O pequeno John tinha apenas quatro anos nessa época. Mais adiante, ele começou a trabalhar em um curtume para ajudar no sustento da casa. O salário era uma pequena quantia de dinheiro, um par de sapatos e uma muda de roupa. Pouco, mas naquele momento isso já ajudava muito a família.

Aos 17 anos, em 1821, John se torna aprendiz de ferreiro do Capitão Benjamin Lawrence, pessoa bastante importante à época. Passa a receber casa e comida, roupas e algumas lições de escrita, leitura e aritmética. Cinco anos depois, Sally morreu. Era 1826 e ela tinha apenas 46 anos.

Viúva e com cinco filhos, a mãe de John Deere morre aos 46 anos. Nessa época, ele era aprendiz de ferreiro e revelava um potencial que já dava indícios das conquistas que viriam com seu trabalho

A primeira mulher – Demarius Lamb Deere (1805-1865)

Demarius Lamb, ao contrário de John, era de uma família próspera. Tinha estudado em escolas privadas e era requintada. Eles se conheceram quando John era aprendiz de ferreiro. O pedido de casamento só aconteceu anos depois, quando ele abriu seu próprio negócio como ferreiro. E assim, em 28 de janeiro de 1827, eles se casaram. Tiveram nove filhos. O primeiro nasceu no ano seguinte, a quem deram o nome de Francis Albert.

Tudo parecia ir bem quando, em 1829, John abriu sua primeira oficina de ferreiro na cidade de Leicester. Mas um incêndio destruiu tudo. Demarius, grande apoiadora do marido, o ajudou na reconstrução do lugar. E, quando menos se esperava, um novo incêndio os levou de volta à estaca zero. Não teve jeito: o casal, envolto em dívidas, precisou vender a propriedade adquirida há pouco tempo.

Demarius Lamb Deere, primeira esposa de John Deere
Demarius Lamb Deere, primeira esposa de John Deere. Eles se casaram em 1827, tiveram nove filhos e viveram 38 anos juntos, até 1865, quando ela faleceu

A segunda filha nasceu em 1830. Escolheram o nome de Jeannette. Em busca de um salário regular, John carregava a família em suas constantes mudanças. Estavam em Royalton, Vermont, quando nasceu Ellen Sarah. Nessa época, John trabalhava como ferrador, forjando ferro para diligências, vagões e carruagens.

Mesmo carregando as dívidas do passado, ele conseguiu comprar um pedaço de terra em Hancock. Frances Alma, o quarto bebê, havia nascido e a expectativa era oferecer uma casa própria à família. No entanto, pouco tempo depois, foi preciso hipotecar a propriedade ao antigo dono. O quinto filho já estava a caminho.

Apesar das notórias habilidades de John como ferreiro, a família encontrava-se sem recursos e era preciso encarar uma decisão muito difícil. A primeira opção seria ficar em Vermont, correndo o risco de perder seu pedaço de terra ou ser preso por não pagar as dívidas. A outra opção era tentar recomeçar no Meio Oeste dos Estados Unidos onde, diziam, as perspectivas para ferreiros eram promissoras. Em 7 de novembro de 1836, deixando para trás seus débitos e com apenas U$73 no bolso, John Deere despediu-se da família em busca de um meio de vida nas grandes pradarias. 

Demarius estava no sexto mês de gravidez. Desta vez, do menino Charles. Não demorou para a situação começar a melhorar. Em Grand Detour, em Illinois, John Deere encontrou grande demanda de trabalho e pode erguer uma pequena oficina, além de iniciar a construção de uma casa simples para a família.

No verão de 1937, Demarius recebeu a tão esperada notícia: a família iria voltar a viver junta, agora no Oeste. O ferreiro John havia dado o grande passo para o futuro próspero, lançando seu famoso arado de aço. Junto de seus cinco filhos, mais sua irmã Lucretia e a família, Demarius chegou a Grand Detour, após uma árdua viagem de seis semanas. Quando John correu para encontrá-los, Demarius entregou-lhe um embrulho irrequieto nos braços e, assim, ele viu pela primeira vez, o filho Charles, de um ano de idade.

A família iniciou nova vida em uma comunidade isolada, mas bastante agitada e cheia de emigrantes. Demarius, bem como os vizinhos mais próximos, costumavam ouvir o marido martelando sobre a bigorna, incansavelmente, até no meio da noite.

Nos anos que se seguiram, John e Demarius tiveram mais três filhos: a menina Emma Charlotte, depois, o terceiro filho homem, Hiram Alvin; e outra menina, Alice Marie. Infelizmente uma desgraça se abateu sobre a família em 1844. Durante a gravidez de Alice, o menino Hiram, então com dois anos de idade, faleceu. Para agravar a dor, algum tempo depois, Demarius deu à luz a uma criança natimorta.

O casal Deere não podia imaginar que o período de tragédias e luto se prolongaria tanto. Em 1848, Francis Albert, o filho mais velho, morreu misteriosamente aos 19 anos. Albert, como era chamado, havia recentemente se juntado ao negócio do pai. John e Demarius esperavam que o primogênito, graduado em administração, pudesse suceder o pai no comando da companhia, desejo que jamais se realizou. Logo após sua morte, a família mudou-se para Moline, também em Illinois, para viver longe das lembranças do filho amado.

Demarius foi a maior apoiadora de John Deere em sua profissão. Além de ajudar a reconstruir o negócio em momentos de dificuldades, acompanhou o marido nas constantes mudanças pelas quais a família passava. Viveram em cidades como Middelbury, Leicester, Royalton, Hancock, Grand Detour e Moline.

Nem bem estavam se recuperando, nova tragédia se abateu sobre a família, quando a filha Frances Alma, então com 17 anos, morreu de “congestão pulmonar”. Naquele mesmo ano, Demarius, aos 46 anos de idade, deu à luz ao nono e último filho, a menina Mary Frances, que morreu em seguida, possivelmente de cólera, visto que uma epidemia varria todo o estado.

Em 1858, John Deere transferiu o comando da sua companhia para o filho Charles. Juntos, ele e Demarius puderam desfrutar de sua riqueza e posição na comunidade por mais sete anos. Demarius Lamb Deere morreu em 1865, após completar 60 anos. Embora ela tenha aproveitado os frutos do sucesso do marido em seus últimos anos, sua vida foi muito marcada pela tristeza e pela privação.

A segunda mulher – Lucenia Lamb Deere (1809-1888)

Alguns meses após a morte de Demarius, em 1865, John viajou de volta para a casa da família Lamb, em Vermont. Ele estava determinado a se casar novamente e escolheu como noiva Melissa Lawrence, filha do Capitão Benjamin Lawrence, aquele que havia lhe ensinado o ofício de ferreiro.  Chegando em Vermont, John descobriu que Melissa, após ficar viúva, já havia casado pela segunda vez.

Ninguém sabe como as coisas aconteceram, mas John encontrou Lucenia, irmã mais nova de Demarius, que estava com 58 anos, solteira até então.  Assim, os dois casaram em maio de 1867. Lucenia e John viveram juntos por duas décadas.

Em Moline, viveram seus últimos anos em uma linda casa de três andares, chamada Red Cliff. Lucenia morreu dois anos após o marido, em 1888.

Lucenia Lamb Deere, segunda esposa de John Deere.
Lucenia Lamb Deere, segunda esposa de John Deere, com quem viveu por duas décadas

A filha mais velha – Jeannette Deere Chapman (1830-1916)

Jeannette Deere, a filha mais velha de John e Demarius, nasceu em 1830, em Leicester, Vermont. Tinha sete anos quando viajou com a mãe, os irmãos Francis Albert, Charles, Ellen e Francis Alma para reencontrar o pai John em Grand Detour, Illinois.

Pouco se sabe sobre a vida de Jeannette até o seu casamento com James Chapman, em 1851. O jovem advogado foi muito bem recebido pelo sogro, mas quando o assunto era política, os dois não podiam ser mais diferentes. Para começar, John era um ferrenho abolicionista, contrário à escravidão. Chapman, por sua vez, era um igualmente ferrenho anti-abolicionista, a favor da escravidão.

Jeannette foi a membro mais duradoura do seu núcleo familiar e morreu aos 86 anos. Devotou a vida à família e foi entusiasta do desenvolvimento da cidade de Moline. Jeannette patrocinava, discretamente, atividades de caridade e seu obituário registrou que “sua personalidade graciosa e admirável fez dela uma acolhedora de amigos”.

John Deere era um ferrenho abolicionista e seu quadro de funcionários refletia exatamente essa postura, que marca até hoje a cultura organizacional da empresa, caracterizada pela diversidade e inclusão. O posicionamento dele era antagônico ao do genro James Chapman.

A terceira filha – Ellen Deere Webber (1832-1897)

A terceira filha de John e Demarius Deere, Ellen Sarah nasceu em Royalton, Vermont, em 1832. Não há registros sobre sua infância ou adolescência. Sabe-se que, em 1851, aos 19 anos, ela se casou com Christopher Columbus Webber. Em seguida, Christopher começou a trabalhar nos negócios do sogro e, em 1865, após 14 anos de casamento, morreu, deixando Ellen com cinco filhos pequenos.  Um dos filhos, Charles C. Webber, então com seis anos, veio a tornar-se vice-presidente da Deere & Company.

Ellen Deere gostava de música. Quando estava com 23 anos, seu pai a presenteou com um piano no valor de U$ 350. Dentre as filhas que chegaram à idade adulta, Ellen foi a primeira do casal a falecer. Quando morreu, aos 65 anos, estava inválida já há alguns anos. E, também, havia sofrido um enfarto poucos meses antes.

Ela foi lembrada como “uma dama de várias qualidades excelentes, uma esposa fiel e mãe dedicada, e uma pessoa que será sinceramente pranteada por muitos amigos queridos”.

Marido de Ellen Deere Weber trabalhou na indústria do sogro, mas morreu cedo. Seu filho Charles Webber se tornou vice-presidente da Deere & Company

A sexta filha – Emma Deere Velie (1840-1911)

Emma Charlotte Deere, a sexta filha de John e Demarius Deere, nasceu em 1840, em Grand Detour, Illinois. Em 1848, Emma mudou-se com os pais e os irmãos para Moline, Illinois. Doze anos mais tarde, em 1860, casou-se com Stephen Henry Velie.

O casamento com Emma aparentemente melhorou a carreira de Stephen. Três anos após o casamento, ele era presidente da Companhia Férrea de Moline e da Companhia de Energia Elétrica, além de tornar-se sócio do sogro. Ele tomou parte do negócio como tesoureiro cinco anos mais tarde e permaneceu no cargo até morrer. 

Emma e Stephen tiveram cinco filhos, quatro meninos e uma menina. Embora dois filhos tenham se tornado administradores de filiais Deere, foi o terceiro filho, Willard, quem herdou o espírito empreendedor da família. Após a morte do pai, Willard foi designado tesoureiro da Deere, porém, mais tarde abandonou o cargo para fundar a Companhia de Veículos de Ferro Forjado Velie, que se tornou a maior fabricante de vagões do Oeste.

Emma morreu em 1911, aos 70 anos. Seu obituário descreve a figura de uma mulher devotada e amorosa: “Ela foi uma mulher de valores notáveis, tolerante e caridosa com os defeitos alheios, e jamais se deixou levar pelo dinheiro e o poder que dele advém”.

A quinta filha – Alice Deere Cady (1844-1900)

Alice Maria, a quinta filha de John e Demarius Deere, nasceu em 1844, em Grand Detour. Ela se casou com Merton Yale Cady, em Moline, em janeiro de 1865. Cady pertencia à bastante conhecida família Yale, fabricantes das famosas “Fechaduras Yale”.

Merton foi um arquiteto famoso em Moline, onde projetou várias construções que existem ainda hoje. Alice, Merton e seus dois filhos viviam em Alderney Hill Farm, propriedade de 250 acres onde antes John Deere criava gado jersey. Graças às habilidades de Merton com arquitetura, o casal remodelou as construções e a residência da fazenda, tornando a casa uma das mais belas do vale do Mississipi.

Após a morte do pai, Alice herdou sua elegante casa na colina, Red Cliff, onde viveu com o marido, até dá-la para a filha, como presente de casamento. Morreu aos 55 anos, em 1900. Sua morte foi atribuída a uma “severa congestão cerebral”.

A mansão de John Deere, chamada de Red Cliff
A elegante casa construída por John Deere, chamada Red Cliff, foi sua última morada, ao lado de Lucenia. Também foi residência de Alice Deere Cady e seu marido. A mansão construída no estilo arquitetônico do Segundo Império é um marco histórico de Moline e, desde 2003, faz parte do Registro Nacional de Lugares Históricos dos Estados Unidos
(Crédito da Imagem: Smallbones – Own Work, CC0)
Comentar
Comentários