Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.
Fale com o John Deere Journal

Quando o ano de 2020 começou nem a pessoa mais imaginativa conseguiria antever um período tão desafiador como o que estamos vivenciando neste momento por conta da pandemia do novo coronavírus. De forma rápida, uma densa nuvem de incertezas, em meio à adoção de cuidados necessários para preservação da saúde e da vida, transformou toda a dinâmica da sociedade e impôs mudanças drásticas nas relações humanas, impactando inter-relações sociais, atividades profissionais e, consequentemente, a economia.

Esse movimento complicou de forma exponencial a situação de pessoas em vulnerabilidade, bem como trouxe grandes dificuldades para quem teve a renda comprometida por interrupção forçada da atividade laboral.

Em momentos como este, somente união, com trabalho coletivo e colaborativo, pode ajudar na superação. A hora de agir é agora e todos, pessoas e empresas, precisam fazer parte da solução. Mais do que nunca, a cidadania clama por atitudes e os voluntários da John Deere estão respondendo.

Eles estão engajados na doação de cestas básicas, nas comunidades em torno das fábricas, com foco na necessidade mais essencial: o suprimento de alimentos.

Peça de Comunicação da Campanha de Doação de Cestas Básicas
Em meio a maior pandemia no mundo em décadas, o voluntariado da John Deere entra em ação mais uma vez. A Campanha de Doação de Cestas Básicas conta com forte comunicação entre os funcionários de todas as unidades da empresa

Segundo Fernanda Schaurich, da Fundação John Deere, o Time de Crises da empresa, composto por diretores, analisou o cenário para verificar o que a John Deere poderia fazer. Com a definição do foco na contribuição para o abastecimento das famílias, a dinâmica foi estabelecida: para cada cesta básica doada por um funcionário da John Deere, a empresa doará outra. E assim começou a Campanha de Doação de Cestas Básicas, com o mote “Solidariedade em Nossas Mãos”.

A iniciativa prevista, a princípio, para o período de abril a junho logo foi engajada em uma segunda missão: ajudar o comércio local. Ou seja, todas as cestas básicas envolvidas na campanha foram adquiridas de empresas das cidades onde estão as comunidades beneficiadas.

Além disso, a John Deere está ajudando diversas prefeituras a manter a higienização de logradouros públicos.

Cestas básicas doadas pela John Deere, seus funcionários e concessionários para pessoas impactadas pela crise da pandemia da Covid-19
Campanha de Doação de Cestas Básicas mobiliza a John Deere, seus funcionários e concessionários, com o objetivo de auxiliar abastecimento de alimentos, aspecto mais essencial para famílias em situação de vulnerabilidade

“A cultura de atuação da Fundação John Deere tradicionalmente destina todos os investimentos, sejam de recursos próprios ou incentivos fiscais, às comunidades locais. E assim foi com as 1,9 mil cestas básicas distribuídas em abril e com as 2,2 mil que serão entregues em maio”, explica Fernanda. Atuar com os comerciantes locais exige maior planejamento por conta do prazo para disponibilização das unidades. Porém, gerar receita para esses negócios, de menor porte, também faz toda a diferença.

“Nossa empresa é bem pequena. Essa compra que fizeram conosco ajudou não só as famílias carentes, mas nós e muitos outros pequenos fornecedores de quem compramos os insumos dessas cestas básicas. Enquanto muitas empresas estão fechando as portas por conta de tudo o que está acontecendo, a nossa trabalhou muito feliz para a montagem das cestas. Essa venda foi um momento histórico da empresa e um marco em nossas vidas”, revela Sueli Penalves, proprietária da Casa e Cia, que vendeu as cestas básicas distribuídas em Indaiatuba (SP).

Ponto de distribuição das cestas básicas da John Deere em Indaiatuba
Em Indaiatuba, cestas básicas ajudaram tanto quem precisava de auxílio, quanto o comércio local a manter suas empresas e empregos

“A Fundação John Deere, tradicionalmente, direciona todos os seus recursos para fornecedores das comunidades onde estamos inseridos.”

Fernanda Schaurich, Fundação John Deere

Ajudar a quem mais precisa

Em um contexto extremo, as vulnerabilidades são agravadas e necessidades surgem onde não existiam. Por conta disso, a Campanha de Doação de Cestas Básicas contempla um conjunto social sem qualquer laço anterior com a Fundação John Deere.

“O cenário atual atingiu muitos que antes nunca haviam precisado de auxílio, como autônomos e prestadores de serviços, impedidos completamente de trabalhar sem qualquer aviso. São pessoas que, em muitos casos, ficam constrangidas em recorrer à ajuda, exigindo sensibilidade grande de quem estende a mão”, conta Fabiana Zappe, analista de Compras de TI da John Deere e líder do Comitê do Voluntariado da Fundação John Deere em Horizontina (RS).

Voluntariado da Fundação John Deere e equipe do programa Semeando o Futuro, da Global Communities
Mapear quem mais precisa de auxílio foi um dos maiores desafios da campanha, segundo Fabiana Zappe, líder do Comitê do Voluntariado da Fundação John Deere em Horizontina (3ª da esq. para a dir.). Medidas restritivas necessárias para conter a pandemia afetaram pessoas que nunca haviam precisado de ajuda. Cruzamento de dados de órgãos públicos municipais, entidades parceiras da Fundação e lideranças comunitárias foi essencial nesse processo

Com esse quadro, um dos maiores obstáculos foi identificar quem mais precisa de ajuda. No mapeamento, a Fundação buscou informações dos Centros de Referência de Ação Social, Centros de Atenção Psicossocial e Secretarias de Saúde das prefeituras, bem como de organizações do terceiro setor parceiras, lideranças comunitárias e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).

“Famílias com crianças, idosos, portadores de necessidades especiais, bem como as que dependem de trabalhadores informais ou pessoas que ficaram desempregadas têm prioridade na destinação das cestas básicas doadas.”

Fabiana Zappe, líder do Comitê do Voluntariado da Fundação John Deere em Horizontina

De acordo com Fabiana, foi muito importante o cruzamento de alguns dados para ajudar pessoas que não recebiam outros auxílios e, consequentemente, se encontravam em condições mais delicadas.

“No caso de Horizontina, o contato com as lideranças comunitárias em cada bairro e entidades como a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) ajudou no mapeamento. Também foi fundamental a aproximação com agentes de saúde, que visitam as famílias regularmente e conhecem bem a realidade de cada localidade. Além disso, a Emater ajudou bastante em relação às pessoas que vivem na área rural”, ressalta Fabiana.

As entregas foram outro ponto de preocupação, tanto para evitar aglomerações quanto nos cuidados de proteção individual. “Todos os envolvidos na distribuição precisam usar máscaras e luvas. Além disso, a higienização da cesta básica é feita no momento da entrega”, afirma a líder do Comitê do Voluntariado de Horizontina.

Integrantes do Moto Clube Viraco se uniram a voluntários da John Deere para ajudar na entrega das cestas básicas
A União faz a força: membros do Moto Clube Viraco ajudaram os voluntários da John Deere na distribuição das cestas em Horizontina
Ponto de entrega das cestas básicas doadas pela John Deere e seus funcionários em Horizontina
Prevenção na entrega das cestas: cuidado com a distância entre as pessoas e uso de máscara e luvas, além da higienização dos kits

A Fundação também restringiu a participação dos voluntários. Somente dois participam na ponta final em cada localidade, excetuando qualquer pessoa que faça parte do grupo de risco.

Verdadeira conexão humana

Para quem recebe as cestas básicas, o gesto de doar é as doações são inestimáveis e representam muito mais do que itens de primeira necessidade. “As doações mostram àqueles em situação de vulnerabilidade que não estão sozinhos e há quem se preocupe com eles. Além de trazer o alimento, o gesto faz com que se sintam acolhidos e afagados”, enfatiza Janete Bernardes Francisco, líder comunitária do Bairro Estação, em Montenegro (RS).

Janete Bernardes Francisco é uma das líderes da comunidade no Bairro Estação, em Montenegro
Janete Bernardes Francisco (em primeiro plano na foto) está sempre engajada na solução dos problemas locais

Ela entrou em 2012 na Pastoral da Criança e, desde então, se dedica ao auxílio à comunidade, atuando na busca de soluções para os problemas no bairro, com foco no desenvolvimento do ser humano.

Janete avalia o momento como muito crítico e entende que pode levar bastante tempo para o quadro de normalidade retornar, permitindo a todos se reorganizarem. “A maioria das pessoas da comunidade em vulnerabilidade é compostas por catadores, que trabalham com a reciclagem. O impacto foi enorme para essas famílias com a queda no consumo”, explica.

A líder comunitária está sempre atenta às necessidades e atua também na conscientização sobre a Covid-19, distribuindo folhetos informativos. Sua participação no mapeamento das pessoas foi essencial para que o voluntariado da John Deere conseguisse entregar 103 cestas básicas no bairro em abril.

Distribuição de cestas básicas da campanha da John Deere em Montenegro
Além do trabalho para identificar quem mais precisa de auxílio, os voluntários da John Deere não medem esforços para fazer com que as cestas básicas alcancem as comunidades com pessoas em situação de maior vulnerabilidade

Do campo para as ruas

Desde que o novo coronavírus chegou ao Brasil, as autoridades sanitárias alertam constantemente sobre a importância da higienização. Esse é um dos pontos mais relevantes para a prevenção à Covid-19 e abrange mãos, objetos e, até mesmo, locais públicos.

Por conta disso, em uma ação conjunta entre a John Deere e sua rede de concessionários, tratores e pulverizadores foram disponibilizados para desinfectar ruas e avenidas de várias cidades do Brasil. Além disso, houve treinamento dos profissionais das administrações municipais para a operação dos equipamentos.

Trator com pulverizador da John Deere utilizado para a desinfecção de logradouros públicos em Catalão
Tratores com pulverizadores acoplados foram cedidos a prefeituras de várias cidades, por meio de ação conjunta entre a John Deere e sua rede de concessionários. Maquinário está sendo utilizado para a higienização dos pontos de maior movimento de pessoas, após treinamento de funcionários das administrações municipais

“A gente não pode ficar indiferente e, depois disso, sairemos melhores, com maior percepção do quanto o ser humano é importante.”

Janete Bernardes Francisco, líder comunitária no Bairro Estação, em Montenegro

Desde abril, o maquinário já é utilizado na desinfecção de espaços públicos de maior movimento das cidades, com uma mistura de água e hipoclorito. Os locais higienizados incluem vias próximas a hospitais públicos e privados, bancos, sedes de órgãos públicos, terminal de transporte coletivo e rodoviária, além de principais ruas e avenidas. “Essa é, sem dúvida, mais uma potente arma no combate ao vírus”, destacou Velomar Rios, secretário de Saúde de Catalão, em conteúdo informativo da prefeitura que ressalta também a sensibilidade, solidariedade e disposição da empresa, na iniciativa válida enquanto durar a pandemia.

A luta de toda a sociedade para passar pela turbulência causada pelo novo coronavírus continua no Brasil e em todo o mundo. Ainda não está no horizonte a calmaria tão desejada após a tempestade, mas a força de uma verdadeira corrente do bem sempre nos permite ver um raio de sol em um dia chuvoso.

A John Deere, seus funcionários e concessionários entraram no combate ao novo coronavírus. Conjunto de iniciativas socias inclui doações de cestas básicas e kits de testes rápidos para a Covid-19, além de disponibilização de tratores e pulverizadores para que diversas prefeituras possam higienizar locais de maior circulação de pessoas
Comentar
Comentários