Fale com o John Deere Journal

    Promover a equidade de gêneros no agronegócio, apoiar umas às outras, aprender, superar desafios e compartilhar histórias inspiradoras. Essas ações fazem parte da proposta da União das Mulheres do Agro, a Rede UMA, iniciativa prestes a completar dois anos e que já transformou a vida de centenas de pessoas.

    A Rede UMA foi lançada oficialmente em abril de 2020. Sua origem, porém, data de um pouco antes. Tudo começou com uma situação bastante triste vivenciada pela advogada Cristiane Steinmetz. Após o falecimento de seu pai, agricultor e dono de propriedade, ela, sua irmã Adriane e sua mãe Clélia viram-se subitamente responsáveis pela administração da fazenda.

    Em maior ou menor grau, as três até tinham certa vivência com o dia a dia na lavoura. Mas nunca na linha de frente. A fim de buscar apoio e compartilhar experiências, Cristiane teve a ideia de criar um grupo para se conectar com outras mulheres.

    Cada vez menos advogada e mais agricultora, Cristiane foi percebendo que havia muitas pessoas em situação semelhante, com desafios dos mais variados, mas sem muita visibilidade.

    Rede UMA nasce da necessidade de Adriana, Clélia e Cristiane Steinmetz em buscar apoio e compartilhar experiências

    Para se ter uma ideia, de acordo com levantamento de 2017 da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), cerca de 20% das propriedades são conduzidas por mulheres. Se pensarmos em gestão compartilhada, o número vai para 37%. Isso representa quase 2 milhões de mulheres.

    “A mulher sempre esteve no campo. Minha mãe esteve, minha avó esteve. Porém, elas ficavam em segundo plano”

    Cristiane Steinmetz

    Com o tempo, o grupo evoluiu e se tornou a Rede UMA. Hoje, a iniciativa conta com a participação de mais de 700 mulheres, está presente em mais seis países além do Brasil (Peru, Paraguai, EUA, Alemanha, Portugal e África do Sul) e tem conexões com grupos parceiros.

    Afora dos grupos de discussão e apoio, as atividades da rede estão distribuídas em alguns pilares, como capacitação profissional (com cursos e workshops), desenvolvimento pessoal (afinal, muitas vezes o crescimento ultrapassa o currículo e precisa de um apoio moral), benefícios para as integrantes (como descontos para marcas parceiras e credenciamento para eventos), ações sociais (para capacitar pessoas em condições menos favoráveis) e o compartilhamento de histórias.

    Parceria com a John Deere

    Em um projeto tão interessante como esse, a
    John Deere certamente não poderia ficar de fora. Por isso, a Rede UMA e a John Deere são parceiras em algumas iniciativas. Além do Conecta, está sendo montado um calendário de capacitação para as participantes da rede, que inclui treinamentos com máquinas e soluções de agricultura de precisão.

    Também estão em fase de planejamento iniciativas voltadas ao desenvolvimento de lideranças e ao empreendedorismo, como forma de ajudar a manter a rede. Já foram desenvolvidos, por exemplo, itens de moda que remetem à agricultura, como colares de milho, acessórios de trigo e até berloque de trator.

    Coleção Joias do Agro é uma das iniciativas da Rede UMA para viabilizar o desenvolvimento de novos programas de lideranças e empreendedorismo

    Importante destacar que a iniciativa não é restrita às mulheres: homens dispostos a promover a equidade também são bem-vindos no grupo.

    Conheça mais histórias incríveis de mulheres que fazem diferença no universo agro:
    • Quem não sabe, pergunta e aprende
    • Em busca da linhagem perfeita
    • O nascimento repentino de uma agricultora
    • Quem ensina também aprende
    • Oficina mecânica é lugar de mulheres, sim senhor!
    • Pioneirismo de algumas mulheres da John Deere (Parte 1)

    Comentar
    Comentários