Fale com o John Deere Journal

    O Vale do Araguaia é um dos lugares mais bonitos do planeta. A afirmação não é exagerada, quem conhece o local sabe bem disso. Formada pelos Estados de Mato Grosso, Goiás e Tocantins, essa região do Cerrado atraiu por muitos anos produtores rurais de todos os cantos do País. No entanto, em paralelo ao crescimento da agricultura na região, alguns problemas socioambientais também ganharam corpo.

    Essa realidade é possível de mudar. Foi acreditando nisso que a John Deere fechou acordo de colaboração de quatro anos com a organização global de conservação ambiental The Nature Conservancy (TNC), dedicada à proteção das terras e águas em 76 países.

    Nada menos do que 100 fazendas de pequeno e médio porte do Vale do Araguaia terão acesso a sistemas integrados de produção e práticas agrícolas regenerativas, combinadas com a restauração e conservação da vegetação nativa.

    O lançamento do projeto aconteceu em meados de novembro em Barra das Garças, polo regional em Mato Grosso, próximo da divisa com o estado de Goiás.

    Beleza do Cerrado atraiu produtores rurais de todo o País, mas é preciso cuidar dos problemas socioambientais que surgiram nos últimos anos no Vale do Araguaia

    A economia local é dominada pela agropecuária, turismo e agricultura, principalmente soja, arroz e milho. A proposta desse grupo de empresas e profissionais envolvidos é oferecer apoio aos produtores por meio de qualificação e treinamento, com utilização de boas práticas e, consequentemente, a obtenção de melhores resultados em cada fazenda.

    Estratégia para ganhar escala

    O acordo firmado entre John Deere e a TNC torna-se ainda mais significativo ao acontecer em paralelo ao encontro dos líderes mundiais na 26ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre o Clima (COP26), realizada em novembro na Escócia. O planeta, está bem claro, pede soluções urgentes.

    Acordo entre John Deere e a TNC contempla 100 fazendas de pequeno e médio porte

    Segundo Julia Mangueira, gerente adjunta da Estratégia de Agricultura Sustentável da TNC no Brasil, a intenção imediata do projeto é testar soluções em territórios prioritários para, nos próximos anos, ganhar escala de atuação. “Precisamos dar escala às soluções e fomentar territórios produtivos sustentáveis, com justiça social e práticas regenerativas de produção”, diz.

    “Os próximos anos serão cruciais para a conservação da biodiversidade, dos recursos naturais e para as mudanças climáticas”

    Julia Mangueira

    A ação também visa otimizar o uso da terra na Bacia do Araguaia e incentivar a produção agrícola combinada com a restauração dos recursos naturais, a proteção do habitat, o incentivo à biodiversidade, a redução das emissões de gases de efeito estufa e o uso da água.

    A colaboração para sistemas alimentares sustentáveis entre a John Deere e a TNC prevê o alcance de 55 mil hectares de terras agrícolas em processo de implantação dos sistemas integrados de produção, a ILPF (Integração Lavoura-Pecuária-Floresta), para apoiar, promover e oferecer assistência técnica aos pequenos e médios produtores da região do Cerrado.

    Projeto pretende testar soluções em territórios prioritários para, nos próximos anos, ganhar escala de atuação

    Importante destacar, ainda, que a adoção de práticas ambientalmente sustentáveis em propriedades de menor porte resulta na melhoria da lucratividade e na mitigação de riscos provocados pelos impactos climáticos.

    Além da John Deere e da TNC, o programa conta também com o envolvimento da Embrapa e da Associação Rede ILPF para desenvolvimento e treinamento dos produtores.

    Equipe técnica visita a região durante lançamento do projeto e avalia como obter os melhores resultados em cada fazenda

    Conheça outras histórias de união de forças em prol de grandes causas e do bem comum:
    • Impulso à produção agrícola no semiárido nordestino
    • Trator adaptado muda vida de menino com mobilidade reduzida
    • Unindo forças para recomeçar
    • Corrente do bem
    • Educação e transformação: além da rima, uma realidade
    • A força feminina no campo

    Comentar
    Comentários